sábado, 21 de maio de 2011

A Filosofia na Alcova - Marquês de Sade


Um livro que li há anos. Perturbador, talvez. Não vou me ater a descrições, apenas vai um trecho dele. O contexto não importa, apenas o diálogo e as ações descritas.
Dolmancé - Mas presentemente, Eugênia, o que faríeis?

Eugênia - Tudo... Que me deem os meios, e verão!

Dolmancé - Vos os tereis, Eugênia, prometo-vos; mas imponho uma condição.

Eugênia - Qual? ou melhor, qual é aquela que eu não esteja pronta a aceitar?

Dolmancé - Vem, celerada, vem para meus braços; não posso mais resistir; é preciso que teu encatador traseiro seja o preço do dom que eu te prometo, é preciso que um crime pague o outro! Vem!... ou melhor, acorrei as duas a extinguir com uma maré de porra o fogo divino que nos inflama!
Mme de Saint-Ange - Coloquemos, por favor, um pouco de ordem nessas orgias; ela é necessária, mesmo no meio do delírio e da infâmia.

Dolmancé - Nada mais simples: o objetivo maior, parece-me, é que eu descarregue, dando a essa encantadora mocinha o maior prazer que eu puder. Vou colocar minha pica em seu cu, enquanto, curvada em vossos braços, vós a masturbareis da melhor forma possível, ; pela posição em que vos coloco, ela poderá retribuir-vos: vós vos beijareis uma à outra. Após umas incursões no cu dessa criança, variaremos o quadro. Eu vos enrabarei, senhora; Eugênia, por cima de vós, vossa cabeça entre suas pernas, me oferecerá seu clitóris para chupar: eu lhe farei assim soltar porra uma segunda vez. Em seguida passarei para seu ânus; vós me apresentareis vosso cu em vez da cona que ela me oferecia, isto é, vós tomareis, como ela acabará de ter feito, sua cabeça entre vossas pernas; eu chuparei vosso cu, como terei feito com a cona, vós descarregareis, farei o mesmo, enquanto minha mãeo, abraçando o lindo corpinho dessa encantadora noviça, irá esfregar-lhe o clitóris, para fazê-la desfalecer igualmente.

Mme de Saint-Ange - Bem, meu caro Dolmancé, mas faltar-vos-á alguma coisa.

Dolmancé - Uma pica no cu? Tendes razão, senhora.
Mme de Saint-Ange - Passaremos sem ela esta manhã: vamos tê-la esta noite; meu irmão virá nos ajudar e nossos prazeres serão satisfeitos. Mãos à obra!
Viram? Nada como uma suruba organizada e descrita por nobres.

2 comentários:

Tinúviel disse...

Isso que é suruba CHIQUE!

Danfern disse...

Nossa, beeeem descritivo...rs

Eu nunca li Marquês de Sade, mas tem outro livro francês "libertino" (pra época), mas não tão explícito: chama-se As Ligações Perigosas, de Choderlos de Laclos, é do séc. XVIII, acho.

Virou um filme muito bom, esse aqui: http://www.youtube.com/watch?v=j9F_RcTuGGA

Recomendo o livro e o filme...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails