segunda-feira, 2 de julho de 2012

O Homem que Enganou o Diabo

Essa não é uma daquelas histórias de alguém que fez um pacto capcioso com o capeta e conseguiu se safar pelas entrelinhas do contrato. Essa é a história de um homem que soube usar de tempo e paciência para enganar o Senhor das Moscas.

Era um desses homens comuns, talvez menos comuns do que a maioria pois a maioria não notava sua presença. Como a maioria dos homens ele tinha problemas, alguns mais severos que outros e alguns para os quais não encontrava solução. Recorreu a especialistas, procurou ajuda de amigos, colegas, conhecidos, família, inimigos mas não houve ajuda. Sem solução para seus problemas.


Não tendo meios físicos para salvá-lo, ele recorreu a meios espirituais, procurou ajuda em religiões, rezou, pediu ajuda a Deus e como a maioria dos homens, não teve resposta. Buscou auxílio em feiticeiros, bruxas, magos, vodu, charlatães, foi enganado, roubado, iludido. Sentava-se na igreja e rezava, sentava-se na praça e pensava. Até que disseram-lhe para procurar ajuda do outro lado. "Dos mortos?" ele perguntou, "Não, de Satã", lhe disseram. A ideia era absurda, seria recorrer ao mal supremo para a salvação de seus males. Além do mais, onde procurar tal ajuda. "Ela pode vir de onde você menos espera", foi o que lhe responderam. Essa ideia não o agradava e ele continuou tentando salvar-se.

Um dia, sentado na igreja, rezando em sua solidão, um homem sentou-se ao seu lado. "O homem dificulta a solução para seus problemas por vontade própria". "Como?" "Sim, você pode ter facilmente sua salvação mas prefere fugir dela". Era uma acusação grave a alguém que buscava ajuda de todas as formas mas só encontrou mais sofrimento. "Vou ser direto e oferecer-lhe um caminho. Se quiser aceitar basta encontrar-me hoje à noite na entrada desta igreja." E o homem se levantou e saiu sem mais nada dizer.

Àquela noite, movido mais pela curiosidade do que por acreditar que ali ele encontraria sua solução. Em pouco tempo o homem surgiu e convidou-o para entrar na igreja. Deram a volta e entraram pela porta de trás que estava aberta, sabe lá Deus (ou o Diabo) como. A igreja estava escura, uma vela fez o ambiente iluminar-se. Aquilo pouco lembrava o lugar onde ele estava horas mais cedo, onde ia sempre. Parecia o interior de uma caverna com estalactites e assustadora para qualquer criança com menos de 30 anos. A vela iluminava cada vez mais e o lugar se revelava mais e mais assustador.

"A resposta nem sempre está onde procuramos" ele ouviu do homem e ao virar-se notou alguém completamente diferente de quem ele tinha visto apenas minutos antes. Não era preciso mais explicações, ele estava diante de Lúcifer.

Continua... (Parte 2)

2 comentários:

Adao Braga disse...

Espero a continuação. E espero até certa hora. Depois, tenha certeza, chamo os Winchesters para resolver a questão!

Anônimo disse...

quero o restooooo!!!!! Stéphanie

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails