segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Mudando de opinião

Estou preocupado se nosso próximo presidente vai ser escolhido com relação a sua posição sobre um assunto só, o aborto. Não quero entrar em discussão se o aborto deve ser legalizado ou não, se sou contra, a favor, mas se até a CNBB já disse que a discussão não deve ser polarizada por isso, porque as pessoas ainda discutem?

Algumas pessoas sustentam a discussão dizendo que a Dilma falou uma coisa e agora fala outra. Bom, primeiro que acho que todo mundo tem o direito de mudar de opinião, quem nunca mudou? Eu mudei algumas com relação a esse assunto mesmo. E também acho muito diferente a pessoa defender o aborto e defender sua legalização. Pelo que vi, a Dilma se mostrou a favor da legalização mas contra o aborto. Eu sou contra beber mas não acho que bebidas alcoólicas devam ser proibidas.

Em compensação, Índio da Costa, vice do Serra, fala no jornal O Dia (RJ) que vão ser contra o casamento gay para agradar os evangélicos mas no Twitter diz que vai lutar pelos direitos dos homossexuais. Tem que agradar a quem lê, já que O Dia é lido pelas classes mais humildes, maioria de evangélicos, enquanto o Twitter é usado por uma porção mais... elitizada da população.

Aliás, sobre esse cara tem uma história interessante. Há uns anos ele fez palestra na Puc-RJ dizendo que ia implantar uma espécie de visto para se entrar no Rio de Janeiro, como é feito para entrar em alguns países. Quer dizer, ou o cara é mal informado, pois não sabe o básico da constituição, ou mal intencionado, porque disse algo para agradar à elite da cidade que, provavelmente, não gosta de ver "nordestinos vindo para cá e aumentando as favelas".

Dizer o que importa a quem interessa, deve ser cadeira obrigatória na política.

Update: Esqueci de mencionar que o Serra, quando candidato a prefeito de SP, disse que se ele não cumprisse o mandato até o fim, que não se votasse mais nele. Ele acabou renunciando para concorrer ao governo do estado. Mudou de ideia?

13 comentários:

Ruby disse...

É difícil agradar, até porque antes podem agradar com propostas, mas o que conta é manter a palavra e goverar honestamente. Cada mudança de governo traz preocupação, porque vc vota no melhor na sua opinião,mas não siginifica que é pra todos, daí essa inconstãncia, mas eu já tenho meu candidato.

Vanessa disse...

Só acho que as pessoas deviam se informar melhor sobre os candidatos que pretendem votar. A verdade é que político algum vale alguma coisa!
Beijos

Adao Braga disse...

Se ela tivesse mudado de opinião, porque não disse que mudou de opinião? Muito simples até de explicar e ficaria bem para o eleitorado se ela, e o PT afirmassem:

- Gente, em 2007 e até em 2009 eu e o PT lutavamos para que a justiça não considerasse crime, ABORTAR. No entanto, nosso entendimento, nossa opinião agora é outra. Estamos ao lado daqueles que pensam que o aborto continua sendo crime.

Ela e o PT só mudaram o discurso por causa da reação da Igreja Católica, e das igrejas evangélicas, e agora, também, por que as pesquisas apontam que mais de 70% dos brasileiros são contrários.

Se ela declarasse que mudou de opinião, seria melhor. Mas, eles querem enganar DESDIZENDO, afirmando que é mentira, ai, meu caro, é só pegar os videos, os audios, e os textos e mostrar e vem a pergunta:

- Era mentira naquela época, ou é mentira agora?

Isto é que complica, ou seja, é a mudança tática para tentar enganar o eleitor, que é contrária a opinião dela e do partido.

Por último, veja esta frase no texto:

E também acho muito diferente a pessoa defender o aborto e defender sua legalização. Pelo que vi, a Dilma se mostrou a favor da legalização mas contra o aborto.

Ou tá faltando palavras, ou não faz sentido a explicação! Como é que ela quer legalizar? Em que ela é contra? O que é que ela quer legalizar?

O que Dilma quer, já é feito. Ou seja, qualquer mulher que praticou o aborto é cuidada, quando chega ao hospital, só que o que Dilma não quer, é que ela seja processada e presa pelo crime cometido.

Murdock disse...

Adão, eu não afirmei que ela mudou de opiniã, apenas levantei essa possibilidade.

E claro que minha explicação faz sentido. É diferente vc legalizar algo de apoiar seu uso. Como eu citei a bebida, conheço pessoas que são contra o uso da maconha mas não são contra a discriminalização. Ela pode querer evitar que mulheres procurem açougueiros para abortar (um médico que faça isso comete um crime) mas não apóia o procedimento, é contra. Os abortos continuarão acontecendo, legalizados ou não, mas legalizando se diminuem as intervenções perigosas.

Primavera disse...

Concordo exatamente com o post e seu comentário!

Sem esse discurso de que “em time que está ganhando não se meche”, ainda assim acho o cumulo da imbecilidade andar pra trás... Mas como esse povo brasileiro parece sofrer de amnésia não duvido se na hora H a maioria resolva mandar tudo de bom, o crescimento e o respeito que adquirimos pelo ralo... Depois vão chorar ao relento, porque nem a cama que é um lugar quente terão para isso!

Adao Braga disse...

Murdock, ainda não digeri a informação. Legalizar o aborto, é ser a favor do aborto. Não se pode legalizar o aborto e ser contra.

O que, penso é que, ela poderia querer defender é:

- Gente eu não aprovo nenhuma mulher a abortar, mas, sou a favor de que se mude a maneira de tratar estas mulheres quando se descobre que ela praticou o aborto.

Mesmo se ela agir assim, é mal vista, por que legalizar o aborto, é ser a favor dele.

As comparações com as bebidas não se aplicam. A bebida é legalizada, e não mata diretamente uma criança. Ao tomar um copo de cachaça, eu não mato uma criança. E o aborto sim! Os exemplos não servem para analogia entre eles.

Ninguém tem o direito por matar outro por motivo nenhum, nem homem, nem mulher tem este direito.

E também, eu não escrevi, que você disse que ela mudou de ideia, até argumentei sobre o fato, se ela tivesse mudado e usado a favor dela. Mas, até agora não uso. Apenas, quer dizer, que é mentira, que ela não disse o que disse. Ninguém consegue contestar o que se tem em vídeo, e nas entrevistas que ela deu.

Murdock disse...

Então entramos numa discussão sem fim. Eu afirmo que é diferente defender a legalização de algo de defender seu "uso". Não quero entrar na discussão se abortar é certo ou errado, se é direito ou não. Ela pode defender que abortar não seja mais crime mas lutar para que não se cometam abortos. O fato dela ter a caneta para aprovar a lei não a impede de agir como padres agirão no caso da legalização e pedir às mulheres que não abortem. Embora padres não vão lutar por contraceptivos.

Magui disse...

O presidente da república não faz as leis e , portanto, não entendo a marcação.E, governar o Brasil é ter a visão do todo e não a partir de um estado da federação.Ainda mais quando é do lugar onde o povo entende-e superior e cospe nos brasileiros como se fossem resto que levam na carcunda...

Adao Braga disse...

Tomemos o cuidado de não cair no caminho citado.

Reitero que se ela tivesse mudado de ideia e comunicado, assumido ter mudado, teria sido menos tragico, do que os caminhos tomado, que são:

- Negar que defendeu;
- Acusar tramoia da oposição;
- Beligerar contra os padres, pastores e religiosos em geral;

Além disso, o PT, como partido, incluiu o assunto no PNDH 3. Dilma na Casa Civil assinou, encaminhou para o Presidente.

Isto por si só, mesmo que ela, hoje declare: EU SOU CONTRA, não impede os religiosos de pregar e solicitar aos membros de evitar o voto no PT e na sua candidata.

Eles tomaram o caminho errado no assunto. O Estado deve ser laico, no entanto, os servidores públicos são pessoas morais, éticas, espirituais, consumidoras, ... e isto, querendo ou não influencia a desição do voto.

Adao Braga disse...

Eu concordo Magui, que o Presidente não faz as leis, mas, ele sanciona, e, qual é o peso da opinião da pessoa do presidente na hora de assinar uma lei? Qual o peso no momento de vetar as leis?

A opinião dele conta? Claro que sim, mas, superior a opinião do presidente, é a vontade do povo que o elegeu.

Se Dilma é a favor de DESCRIMINAR, LEGALIZAR o aborto, para o povo, isto é igual a pensar:

- A lei que favorece ao aborto será aprovada.

Pois, para o povoréu, se ela é a favor, neste momento, ela dá é o voto de minerva.

Micha Descontrolada disse...

é o sujo falando do imundo...tdo farinha do mesmo saco.
acho horrível essas campanhas dele, um falando mal do outro. acho q campanha é pra falar da proposta de cada um e tal, e não ficar atacando o adversário.


/(,")\\
./_\\. Beijossssssssss
_| |_................

Murdock disse...

"e isto, querendo ou não influencia a desição do voto."

Infelizmente... Azar dos que creem em algo diferente.

Adao braga disse...

Pô um DESIÇÃO escrito errado desta maneira.... credo.

Só agora li e vi! Que feio é uma palavra escrita errada.

DECISÃO, DECISÃO, DECISÃO vou pra casa digitar 1000 vezes

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails