quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Instrumental


Eu gosto de músicas instrumentais. Sei lá porque mas sempre gostei. Um dos meus principais contatos com música sem ser infantil foi, acreditem, com Jean-Michel Jarre. Ok, provavelmente aqui quase ninguém ouviu falar do tecladista francês, filho de Maurice Jarre (autor do Tema de Lara), que tinha sempre um especial de fim de ano na Globo e fazia shows megalomaníacos em Paris utilizando lasers, holofotes, projeções e o escambau. É clássico quando ele toca num tipo de teclado/harpa feito de luzes. Eram músicas psicodélicas, envolviam um ambiente meio futurista e new wave segundo alguns. Eu gostava e ainda acho legal.

Depois conheci música clássica e rock. Não sou muito conhecedor de clássico, lamentável e no rock eu comecei com Pink Floyd, algo ainda bem instrumental. Depois esse som foi ganhando peso e mais letras mas ainda hoje o que me atrai é o instrumental. Não ligo muito para a letra, para mim o vocal é mais um instrumento e por isso não consigo gostar de alguns cantores, com aquela voz sem personalidade. Ok, não ligo pra letra em partes, não conseguiria gostar de uma música que exaltasse o nazismo simplesmente por ela ser bem feita e bem cantada. Mas entender a letra é fácil, mesmo que ela seja em inglês ou alemão, basta traduzir e interpretar, mesmo que possa ter várias interpretações. Não digo entender no sentido de absorver o que o autor quis dizer mas entender aquilo como música. Entender uma música instrumental é mais difícil, mais complexo. Muitas pessoas diriam que Andalusia ou Summer Song do Joe Satriani, ou as apresentações ao vivo de Jimi Hendrix são apenas barulho. Até Bach ou Beethoven talvez sejam interpretados assim por muita gente.

Minha avó parecia achar estranho eu gostar de Jean-Michel Jarre sem nunca ter estudado música. Hoje já estudei um pouco e entendo a estranheza dela. Acho que algumas pessoas exageram ao babar por detalhes técnicos de certos músicos, mas é gosto. Eu gosto de prestar atenção nos vários instrumentos, detalhes que os músicos fazem e que passam despercebido pra quem presta atenção somente na letra. Por isso tudo que a música atual não me agrada, só serve de acompanhamento para uma letra ou para um ritmo, pronto. Vou acabar surdo de tanto usar fones de ouvido.

Mas convido você, que não curte música internacional, rock ou música instrumental, a colocar um fone de ouvido e dedicar uns 20 minutos do dia a ouvir com atenção:

Andalusia - Joe Satriani
Summer Song - Joe Satriani
Voodoo Child - Jimi Hendrix
Child in Time - Deep Purple

As duas últimas tem letra mas dá pra notar como em Child in Time Ian Gillan usa a sua como um instrumento.

PS: Depois posto links delas no Youtube pra facilitar.

3 comentários:

Micha Descontrolada disse...

eu não sou fã de música instrumental..sei lá, fico meio fora de órbita, meio desorientada...
acho q isos não é mto normal..

Um ótimo fim de semana para você!!!

/(,")\\
./_\\. Beijossssssssss
_| |_................

Magui disse...

Também gosto de música instrumental inclusive os clássicos dos quais tenho uma discoteca enorme, juntada e herdada de uma tia pianista mas que brecemente não valerá para nada, quando meu toca discos pifar de vez.Qt à letras , penso como vc.A voz é mero instrumento musical incurso no conjunto.

K-cau disse...

Ahh eu curto música instrumental.. Vou experimentar escutar essas que vc está sugerindo. =)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails